[REVIEW] Murdered: Soul Suspect

Por Lucas Fonte Boa

Em um universo dominado pelos FPS de ação e adrenalina, raramente se vê algo inovador, mas isso não significa que tais ideias não existem mais. Um exemplo é a nova aposta da Square Enix em Murdered: Soul Suspect, um game que possui uma premissa diferente e intrigante: desvendar o mistério por trás da morte do próprio protagonista, mas que exprime grande dificuldade em mostrar seus pontos fortes ao player.

Murdered: Soul Suspect é ambientado em Massachusetts, na cidade de Salem, famosa pelas histórias das Bruxas de Salem e também em outro plano da cidade – Dusk -. O jogo tem início quando o detetive Ronan O’Connor (ex-presidiario, com toneladas de tatuagens) adentra em o que seria a cena de um crime em busca de pistas que possam o ajudar a encontrar Bell Killer (assassino que estava enchendo os necrotérios da cidade). Plot Twist: O assassino ainda se encontrava lá, surpreendendo O’Connor e o arremessando pela janela. Como se não bastasse, ele coloca 6 balas no peito do detetive.

Lucas 2

Depois de morto, Ronan, agora no além, encontra o espirito de sua falecida esposa e descobre que ainda não é a hora de descansar. Como foi dito em Gasparzinho (1995), ele ainda tem um “assunto inacabado” e está amaldiçoado a penar pela terra até desvendar o mistério por trás dos assassinatos de Bell Killer.

A história do jogo, diga-se de passagem, é o ponto mais forte do game. Do início ao fim, o player fica preso a curiosidade de descobrir o que mais aquele universo tem a mostrar. Jogar com um fantasma mostra que nem tudo são rosas, já que o personagem não pode interagir diretamente com nenhum objeto do mundo dos vivos. O personagem então utiliza de recursos como possessão para ouvir pensamentos e induzir as possessos a focar em certas lembranças que beneficiariam o jogador na busca por pistas.

Os outros pontos fortes do game ficam por parte de suas missões secundárias e a caça aos colecionáveis, que podem render momentos divertidos e uma expansão no conhecimento do universo do game. Cada área do mapa tem uma pequena quantidade de missões secundarias e uma história, que é contada encontrando todos os objetos colecionáveis do setor, podem ser encontrados também fragmentos de memorias que nos contam mais sobre o passado de Ronan.

Lucas 3

Esses pontos agregam certo valor à obra no geral, mas ainda não conseguem mascarar as muitas falhas que o game apresenta.

Investigações “sem sal”: Se dão pela observação e interação com alguns objetos do cenário. Depois de interagir com todos eles, o player deve juntar as peças para chegar a algum tipo de conclusão. Aí encontramos vários fatores que acabam com o desafio, uma vez que o espaço de investigação é restrito a uma área muito pequena, e os objetos “chaves” se destacam no cenário.

A conclusão da investigação pode ser feita selecionando pistas aleatoriamente até acertar a ordem de pistas relevantes. A falha em selecionar as pistas de maneira incorreta resulta em uma penalidade que não interfere em nada no gameplay.

O combate também deixa a desejar pelo nível de dificuldade que é perceptivelmente muito baixo. No jogo, o protagonista deve escapar de demônios que querem absorver sua alma, o combate não é direto e o player deve pegar os inimigos distraídos para poder “exorciza-los” isso tudo apertando dois botões em um quick time event.

Lucas 1

Por fim temos a repetitividade: as ações do player são sempre as mesmas do início ao fim. A duração do game pode ser vista como um ponto positivo e negativo, tendo em vista que o jogo é muito curto, mas isso faz com que a experiência não fique tão maçante.

De maneira geral, Murdered: Soul Suspect é um jogo abaixo da média, não muito, mas abaixo da média. Possui uma ideia original e muito bacana mas a execução e a mecânica fraca deixam muito a desejar.

Nota: 5/ 10.

 Nota pessoal: Murdered tem várias falhas, mas ainda assim conseguiu fazer com que eu adorasse o game, as sacadas como atravessar as paredes, o poltergeist são detalhes que fazem você se sentir na pele de Patrick Swayze (Ghost – 1990), sem falar que a mecânica fraca do game não me incomodou nem um pouco. Apreciei bastante a trama e fiquei, de certa forma, decepcionado quando tudo acabou. No geral, eu achei o jogo excelente e muito original. Recomendadíssimo!

Nota: 8/ 10.

Anúncios

O que você acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s