[FORA DE SÉRIE] O “Fenômeno” Sharknado

Por Luís Gustavo Fonseca

O cinema é uma criação curiosa de um ser curioso. Ao mesmo tempo que esta invenção é capaz de proporcionar os mais variados e belos tipos de trabalho, em centenas de filmes nos últimos cento e poucos anos, temos também a existência das obras mais asquerosas e repugnantes dentro da 7ª Arte, que chegam a ofender o juízo de quem vê. Isso é um pequeno frame, uma pequena fatia do retrato de um ser que também é capaz de produzir coisas maravilhosas, e também coisas horríveis, quando não são… Bizarras. Eis que, em 2013, surgiu o novo hit/meme/sensação na Internet, um filme feito direto para TV, sobre… UM TORNADO COM TUBARÕES! Qual o sentido disso? Absolutamente nenhum. No máximo, despertar a curiosidade perante tamanha imbecilidade. Em “busca de parâmetros” e ver se era possível descobrir o segredo de seu sucesso, aceitei o desafio de conferir o filme.

Because SHARK, man!
Because SHARK, man!

Desde Tubarão de Spielberg, o ser humano criou uma relação de amor e ódio (?) com esses seres aquáticos, o que provavelmente justifica o porquê há tantos outros filmes sobre o bichano. Curiosamente, Tubarão deve ser o melhor filme que retrata a espécie. De resto, temos filmes fracos, filmes ruins…. E temos Sharknado.

Produzido pelo estúdio The Asylum, especializado nesse tipo de filme, e exibido pelo canal SyFy, Sharknado foi exibido ano passado e obteve grandes números de audiência, chegando até ser exibido em sessões especiais de cinema, posteriormente, com algumas sessões com ingressos esgotados. Tamanho sucesso garantiu não só uma, mas 2 continuações, a segunda dela, Sharknado 2: The Second One (sim, esse título mesmo), exibida essa semana nos EUA, ainda sem previsão para passar no Brasil.

Quem viu essa pérola pela TV, em 98% dos casos, não era alguém que de fato queria ver o filme. Certamente, eram pessoas que estavam zapeando de canal tranquilamente, procurando algo para assistir, quando se depara com um tornado de tubarões. Diante de um “WHAT A HELL IS THAT SHIT?!?!?!?!?!?!“, o cidadão parou no canal e, “encantado” pelas cenas pitorescas que iam se desenrolando na telinha, não conseguiu trocar de canal de novo, afinal, era PRECISO ver como toda aquela bosta chegava ao fim.

Quem viu pelo computador depois, não tem essa desculpa. Viu pela curiosidade, por querer experimentar tal “experiência”, pelo LOLZ da situação, ou simplesmente para fugir da pior maneira possível do tédio, em uma tarde pré-feriado, procurando satisfazer um intelecto que está abaixo dos níveis de uma esponja.

Bye, bye, Estátua da Liberdade
Bye, bye, Estátua da Liberdade

Como era de se esperar: O FILME É UMA BOSTA. BOSTA DA PIOR BOSTA POSSÍVEL. BOSTA DA DISCUSSÃO “MENOS BOSTA OU SHARKNADO” (mas ainda sim, melhor que Crepúsculo!). Nada, NADA, ABSOLUTAMENTE NADA, se salva no filme. Atuações pífias, desastrosas, que até um ator amador seria capaz de fazer algo melhor. Direção ridícula, EFEITOS ESPECIAIS… SURREAIS! PUTA MERDA, o meu Play 1 tem efeitos melhores. Eu fiquei bobo. Quem permitiu que essa atrocidade fosse feita? Eu não vou querer nem falar sobre trilha, fotografia, essas porcarias, porque TUDO É MUITO VAGABUNDO.

“Ah,mas pera lá! É um filme QUE FALA SOBRE UM TORNADO COM TUBARÕES!!! QUERIA O QUE? FILME DE OSCAR?” Verdade. Olhando por esta ótica, Sharknado é menos ofensivo, mas ainda sim, não menos deprimente. O filme tinha potencial para ser um nonsense trash maneiro, que causasse certo entretenimento, mas o roteiro (se é que pode dizer que ele existe) pífio estraga qualquer chance disso ao tentar desenvolver historinhas dramáticas totalmente desnecessárias. Ao ver o trailer, eu esperava terminar o filme pensando “Nossa, eu não acredito que me diverti com essa bosta!”, mas na verdade você termina sentindo vergonha de todos os envolvidos com a obra.

Não irei mentir: eu VIBREI nessa cena
Não irei mentir: eu VIBREI nessa cena

Não que eu não tenha rido. E dá para rir BASTANTE! Em algumas cenas, vi algo tão ridículo, tão mal feito, que tive que rir. Porra mano, TUBARÕES NADANDO EM 30 CM DE ÁGUA!!! E AS MORTES, O MODO COMO OS TUBARÕES COMIAM AS PESSOAS? HAHAHAHAHAHA, PATÉTICO! Eu não vou nem falar das explosões sem sentido algum, que até o Michael Bay desaprova, OU DA PESSOA SAINDO VIVA DA BARRIGA DO TUBARÃO! Até a cena do cara fatiando o tubarão no meio com uma motosserra arranca uma risada, porque ali você já está entregue a estupidez do filme. Porém, no conjunto da obra, Sharknado é uma decepção. A não ser que você seja alguém que não se incomode de jogar seu tempo fora, e quer ter um filme para dizer “Esse é o pior filme que já vi!”, passe longe disso. A nota séria para esse filme seria uma nota negativa, mas, sendo generoso… 1,3/ 10.

PS: Apesar da nota, ainda quero ver MUITO o segundo filme.

Anúncios

Um comentário sobre “[FORA DE SÉRIE] O “Fenômeno” Sharknado

  1. É ruim mesmo, mas o mundo precisa disso pra efeito de comparação. De qual outra maneira você conseguira mensurar uma nota 1.3 ?
    Mas de qualquer maneira, assistir com os amigos na cp e com pipoca gratis não tem preço.

O que você acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s