[FORA DE SÉRIE] 10%

Por Pablo Lopes

Olá, caro leitor do Filmaiada.

Vamos conversar um pouquinho sobre uma questão de Lucy (2014) que já embaraçou muita mente por aí.

O filme tem uma premissa básica, já comentado na crítica, de que o ser humano usa apenas 10% da sua capacidade cerebral. Bom, proponho que usemos a nossa capacidade cerebral para melhor entender essa afirmação.

O mito dos 10% da capacidade cerebral já foi atribuído a diversos autores; ilusionistas, que diziam levitar e controlar a matéria ao seu redor; monges; paleontólogos; cientistas, figurando entre eles o físico Albert Einstein; e, através da internet, essa informação se propagou e propaga ainda mais rápido. Por outro lado, sabe-se que há incerteza na origem dessa perjura.

De fato o corpo humano usa “o máximo” de sua capacidade cerebral. Neurônios são células muito valiosas para serem mantidas sem pleno funcionamento ou sem uso algum. O cérebro é nossa central de comando e, como um grande servidor, nunca para e não desperdiça capacidade funcional. Os tais 10% já foram cientificamente refutados pelo neurologista Barry Gordon, que, por fim, descreveu o mito como “ridiculamente falso” e até mesmo pela dupla do Mythbuster com uma  magnetoencefalografia.

10%?
10%?

O que acontece é que, talvez por treinamento, concentração ou até mesmo miticismo (não quero ser taxado como cético), algumas pessoas conseguem ativar, acessar ou potencializar certos aspectos do pensar humano. Com essas técnicas surgem habilidades incríveis como resolução matemática ou memorização lógica. No entanto, isso não está ligado ao quanto às pessoas usam o cérebro, mas como usam.

O corpo naturalmente responde ao treinamento rotineiro e a especialização e aptidão do ser. Por isso, artistas se destacam e diferenças são comumente observadas. Somos uma massa a ser modelada por nós mesmos. Todavia, é claro que é valido conversar com o mito no cinema, pois faz parte do senso comum e entrega uma perspectiva diferente e muito bonita de um assunto que deveria ser mais debatido.

Finalmente, pode ser uma volta enorme pensar assim, mas com todo esse desenrolar, concluo que testes de QI ou habilidades textuais não servem para padronizar humanos e taxar seu nível de inteligência. Todos usam 100% da capacidade que lhes é atribuída. Cada ser desenvolve o seu uso cerebral como lhe convém ou lhe é agradável. O que é valioso é o quanto as pessoas estão dispostas a fugir do simplesmente conveniente e agradável e ampliar seus horizontes mentais.

Para os interessados nas pesquisas e demais fontes seguem os bons links:

Anúncios

4 comentários sobre “[FORA DE SÉRIE] 10%

  1. Texto muito bom! Vale lembrar que cada um usa realmente oque lhes e atribuido, mas com boas praticas, tanto de leitura ou ate jogar jogos
    que buscam solucoes e ter uma vida saudavel vai dar um upgrade e tanto para no servidor pessoal! 😀
    Abracos Pablo e toda equipe do Filmaiada!

O que você acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s