Velozes e Furiosos

Por Luís Gustavo Fonseca

 

Posso estar viajando (e provavelmente estou), mas poucas vezes achei tão notável a questão “Quem veio primeiro? O ovo ou a galinha?” como em relação à franquia de jogos Need For Speed e Velozes e Furiosos. Quando o primeiro filme da franquia estrelada por Vin Diesel e Paul Walker foi lançado, em 2001, já tínhamos mais de 10 jogos da série de corrida da Eletronic Arts. Contudo, foi graças ao sucesso dos dois primeiros filmes (recheados com carros tunados, neons, NOS e rachas pelas ruas de Los Angeles e Miami) que os jogos enveredaram para uma exploração maior da cultura de tunning dos carros, lançando verdadeiras pérolas do gênero como Need For Speed: Underground 2 e Need For Speed: Most Wanted, em 2004 e 2005, respectivamente.

Talvez tenha sido tudo um grande golpe de sorte, aproveitando o momento certo. Mas, particularmente, o que faz os 2 primeiros filmes da franquia serem dois relativos sucessos, e queridos por muita gente, é seu caráter de nicho. Nenhum deles possui um custo de produção gigantesco (38 milhões de dólares e 76 milhões, respectivamente), mas ambos conseguiram faturar mais de 200 milhões pelo mundo.

V&F 2

O maior trunfo de ambos é não querer ser algo grande demais, super elaborado. Apostam numa trama policial relativamente simples, mas bem executada; numa direção que sabe proporcionar boas cenas de corrida e perseguição, mesmo que não tenham entrado para a história do cinema; e, principalmente, na química de seus protagonistas, seja de Diesel e Walker, marcante, no primeiro, ou a de Walker e Tyresse no segundo. Aliás, a substituição talvez justifique a preferência de muitos do primeiro em relação à continuação (inclusive eu), mas ainda penso que o segundo vale a pena ser visto.

A entrada de Justin Lin na direção levou a série de algo de nicho para o nível de blockbuster que conhecemos hoje. É verdade que Tokyo Drift ainda apresenta muito de seu caráter inicial, trazendo para os holofotes um dos melhores artifícios do tema, o drifting. Mas fica evidente a importância da dupla Diesel/Walker para a franquia, já que este terceiro filme (que, como ficamos sabendo depois, acontece após o sexto filme!) foi o que menos arrecadou de todos: quase 160 milhões pelo mundo.

V&F 3

Mesmo que talvez pudéssemos falar que a Universal vinha de 2 fracassos consecutivos, o estúdio foi o inteligente bastante para não desistir da série. Mesmo porque, ao contrário das concorrentes, que possuem robôs gigantes, super heróis, estúdios de animação, adaptações literárias de obras infanto juvenis, ela ainda carecia de uma franquia própria que pudesse ser sua galinha de ovos de ouro. E o quarto filme já mostra esse processo de transição entre o nicho e o blockbuster: o custo de produção aumentou (85 milhões), o filme se torna o que mais faturou entre os quatro (mais de 360 milhões pelo mundo), e já fica perceptível um uso maior dos efeitos especiais, como por exemplo, na cena de abertura, com Vin Diesel e Michelle Rodriguez escapando por um triz de um caminhão tanque de combustível capotando ladeira abaixo, ou ainda, nas perseguições pelos túneis entre as fronteiras mexicana e americana.

VEJA TAMBÉM | Velozes e Furiosos: Melhores Momentos

Se o quarto filme apenas evidencia essa transição, o quinto já mostra essa transformação completa. Ganha espaço explosões, tiroteios e corridas a pé alucinantes pelas favelas cariocas. O clímax do filme, com a incrível perseguição pelas ruas da Cidade Maravilhosa, com Diesel e Walker levando um cofre gigantesco, é a cristalização deste processo. É nesse filme também que alguns absurdos também começam a fazer parte da franquia. Tudo bem, exageros e momentos “Isso só acontece em filme” fazem parte dos filmes de ação de uma maneira geral. Mas além dos movimentos impossíveis realizados pelo cofre, o que dizer das ruas do Rio sem trânsito durante a perseguição? Ou o que deveria ser a ponte Rio-Niterói? O filme não é destruído por isso, claro, mas são algumas coisas que podem incomodar certos espectadores (se bem que, o que mais me tira do sério é o Paul Walker dirigindo em carro com direção na direita aqui no Brasil. Tem que ser um baita piloto mesmo para conseguir realizar essa façanha).

V&F 1
This is BRAZIL!

O 5º e o 6º filmes também mostram a capacidade da franquia de se atualizar. Em uma época que temos filmes como Os Mercenários e Os Vingadores, com a reunião de várias estrelas, Velozes e Furiosos não ficou para trás. O quinto capítulo já conta a com a reunião de vários nomes. Além da dupla principal, temos retorno de Ludacris, Tyresse, Jordana Brewster, Sung Kang, Gal Gadot, além da entrada de Dwayne “The Rock” Johnson, um dos maiores acertos de toda a franquia. A obra seguinte é a que mais investe no papel do antagonista (talvez o principal ponto fraco da série), entregando o cargo para Luke Evans (o Bard de O Hobbit).

O novo filme chega aos cinemas brasileiros no próximo dia 2 de abril, com o retorno de várias dessas características. Dois temperos especiais: o primeiro, a participação de Jason Statham como vilão do filme (a escalação do ator não deixa de ser uma brincadeira de um “crossover” com Carga Explosiva); o segundo tem um tom mais triste. Será a última vez que veremos Paul Walker nos cinemas. Um dos pilares fundamentais da franquia, o ator faleceu em Novembro de 2013, em um acidente de carro (por ironia do destino). Como muitas das filmagens do novo filme já estavam prontas (ele deveria ter sido lançado no verão americano do ano passado), o roteiro teve que ser reescrito para adaptar a esta fatalidade. A expectativa agora é quais homenagens o filme irá prestar ao ator. Fica a certeza que o novo capítulo tem tudo para ser outro sucesso, levando a franquia a números nunca antes vistos… Mas será que pela última vez?

Anúncios

10 comentários sobre “Velozes e Furiosos

  1. Venho me decepcionando com essa transição do filme, pois sou fã assíduo do movimento de tunning e drifting. O filme passou a se caracterizar como mais um filme de ação com carros, fato que me entristeceu.

    Ótima análise! Vamos aguardar o filme

O que você acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s