7 coisas que resumem o Globo de Ouro 2016

Por Luís Gustavo Fonseca

 

Na manhã desta quinta feira (10) foram anunciados os indicados ao Globo de Ouro de 2016 (você pode conferir a lista completa aqui). E além da acirrada disputa na TV, a premiação, que ocorre daqui 1 mês, em 10 de Janeiro, serve como termômetro do que podemos ver no Oscar. Abaixo, algumas das coisas que se destacam na lista:

1- O Streaming controla a TV

 

Os serviços de streaming mostraram a sua força esse ano. A Netflix foi o canal de TV que mais recebeu indicações (8), superando a HBO (que teve sete). Juntando com as cinco indicações da Amazon Video e a indicação solitária ao Hulu, os serviços de streaming totalizaram 14 indicações, revelando como Hollywood, de fato, se rendeu ao formato.

2- Blockbusters entre os indicados a melhor filme

 

No ano passado, o filme de maior bilheteria doméstica (aquela que só considera o montante arrecadado nos EUA e Canadá) na categoria Drama foi O Jogo da Imitação, que arrecadou US$91 milhões (na categoria Comédia e/ou Musical, foi Caminhos da Floresta¸ com 128 milhões de dólares). Mas esse ano, o Globo de Ouro parece ter dado o braço a torcer para alguns sucessos de público. Na categoria Comédia e/ou Musical, destaca-se a presença de Perdido em Marte (221 milhões de dólares de bilheteria), A espiã que sabia de menos e Descompensada (cada um faturando US$110 milhões). Na categoria drama, Mad Max: Estrada da Fúria (153 milhões) é quem representa o clamor popular no prêmio. No caso de Mad Max e Perdido em Marte, uma outra forma de reconhecimento: os diretores dos filmes, George Miller e Riddley Scott, respectivamente, também foram indicados na categoria Melhor Diretor.

GG 01
Na corrida pela estatueta?

3- 3ª idade marca presença

 

Sabe aquela história de “panela velha é quem faz comida boa”? Pois então. Entre os indicados deste ano, há vários veteranos na corrida pelo prêmio: Bryan Cranston (Trumbo), Al Pacino (Não Olhe para Trás), Lily Tomlin (Grandma), Maggie Smith (A Senhora da Van), Sylvester Stallone (Creed), Jane Fonda (Youth) e Helen Mirren (Trumbo) são os atores na faixa dos 60 anos pra cima que marcaram presença na lista.

4- Tarantino, roteiro e a arte de emplacar atuações coadjuvantes

 

Em 2013, o último filme de Quentin Tarantino, Django Livre, concorreu a 5 Globos de Ouro, incluindo Melhor Diretor e Filme. Levou em Melhor Roteiro e Melhor Ator Coadjuvante, quando Christoph Waltz levou o prêmio pela segunda vez para casa. A dupla levou o Oscar daquele ano nas mesmas categorias, permitindo que Waltz repetisse o feito de 2010, quando levou o prêmio pelo seu papel em Bastardos Inglórios (o roteiro do filme não levou a estatueta). Desta vez, sua nova produção, Os Oito Odiados, vem com menos força: 3 indicações. Contudo, voltam às características do diretor: está indicado em Melhor Roteiro, emplacou Jennifer Jason Leigh na categoria Melhor Atriz Coadjuvante e também conseguiu uma indicação em Melhor Trilha Sonora, pela composição do mito Ennio Morricone.

5- Carol: o “Filme de Oscar” a ser batido?

 

Todo ano, surge aquele filme que tem a cara do Oscar e que, mesmo que não faça sucesso entre o público, desponta como favorito a arrematar várias estatuetas. Pelas indicações do Globo de Ouro, o “escolhido” deste ano é Carol, que obteve 5 indicações: duas em Melhor Atriz na categoria Drama (Cate Blanchett e Rooney Mara), Melhor Filme Drama, Melhor Diretor (Todd Haynes) e Melhor Trilha Sonora. Mas ao contrário do último ano, a diferença para os demais é mínima: O Regresso, Steve Jobs e A Grande Aposta conseguiram 4 indicações cada. E ao lado de Os Oito Odiados, que teve três indicações, temos A Garota Dinarmaquesa, Perdido em Marte, Spotlight e O Quarto de Jack.

GG 02

6- Wagner Moura é o Brasil no Globo de Ouro

 

Se por um lado, Quero Horas Ela Volta? não conseguiu ser indicado na categoria Melhor Filme Estrangeiro, o Brasil tem um representante na premiação: Wagner Moura foi indicado na categoria Melhor Ator de TV da categoria Drama, por Narcos. O ator terá uma disputa difícil pelo prêmio: entre os concorrentes, há Bob Odenkirk (Better Call Saul), Rami Malek (da sensação Mr. Robot) e Jon Hamm (em seu último ano de Mad Men), além de Liev Schreiber (Ray Donovan e COMO ASSIM ELE É O DENTES DE SABRE DO WOLVERINE: ORIGENS?!?!)

GG 03

7- Ausências e surpresas

 

E como TODA lista de premiação, é possível perceber algumas ausências, assim como algumas surpresas. No primeiro grupo, destaca-se a ausência de Johnny Depp pelo seu trabalho em Aliança do Crime; a ausência do elenco de Spotlight (Mark Ruffalo, Michael Keaton e Rachel McAdams), tido como o grande trunfo do longa; Tom Hanks por Ponte dos Espiões; o trabalho de Denis Vileneuve em Sicario; a ausência de Straight Outta Compton em categorias como direção, atuação e trilha sonora; a falta de compaixão dos votantes por Mad Men, o drama da AMC que terminou este ano e só conseguiu indicar Jon Hamm ao prêmio; e ausência de séries veteranas como Downton Abbey, Homeland e House of Cards.

maxresdefault
Johnny Depp foi esnobado pelo prêmio

Entre as surpresas, há confirmação da força de Mad Max: Estrada da Fúria, que solidifica o status do filme para tentar algo no Oscar (lembrando que há, ainda, as categorias técnicas, ausentes no Globo de Ouro); a indicação de Will Smith por Um Homem Entre Gigantes; a indicação de Lady Gaga pelo seu trabalho em American Horror Story; além de Mark Ruffalo ter sido indicado não por Spotlight, mas por Sentimentos que Curam.

Anúncios

O que você acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s