7×1: X-Men Origens: Wolverine

Por Matheus Araujo

Diferente dos demais filmes abordados no 7×1, eu não lembrava que X-Men Origens: Wolverine era tão merda. Óbvio, todos os outros são horríveis, mas admito certo exagero ao escancarar seus problemas. Teorizo que por precaução meu cérebro tenha apagado a deprimente experiência que faz Quarteto Fantástico parecer de uma genialidade mal compreendida.

Okay. Continuo exagerando.

Caso você não conheça o 7×1 – reconheço a extensão da fama do Filmaiada – saiba que ele é uma resenha satírica de filmes detestáveis, na qual brinco numa alusão à tragicomédia do futebol brasileiro. Simples assim: 7 pontos contra, 1 a favor.

7 ERROS

1 – Prólogo

Retirado de forma até que fiel da HQ de Origem do personagem, o prólogo não é ruim. Só mal aproveitado. Uma singela fidelidade meio a um mar de infidelidades na 1h47 que viria a seguir. Fora isso, os créditos de tão bacanas soam desperdiçados em um filme tão ruim. Aliás, como eu gostaria de ver uma produção focada somente na relação de Logan e Vitor Creed passando por todas aquelas guerras. Os créditos definitivamente são a parte mais promissora.

X-Men.Origins.Wolverine.2009.1080p.BrRip.x264.YIFY.mp4_snapshot_00.08.20_[2012.09.30_04.54.57]

2 – O significado de Wolverine

Adaptações possuem diversas liberdades criativas e, honestamente, isso raramente chega a ser um problema para mim. Começo a olhar feio para uma adaptação somente a partir do momento no qual ela fere a essência da obra original. Não precisei de 15 minutos para o meu olhar feio querer lançar um raio laser X-Men Origens: Wolverine. A falha mais representativa da corrupção do personagem é a nova significação da palavra “Wolverine”, que para o longa-metragem de 2009 é resultado de uma lenda da paixão… MUITO distante de seu sentido mais simples, tradicional e certeiro – uma referência direta ao animal solitário de força e ferocidade desproporcionais ao seu tamanho.

wolverinebdcap4_original

3 – “Cool guys don’t look at explosions”

Quem não se diverte com um bom astro de ação? E quem disse que o Logan das HQs, ou mesmo em outros filmes, já não é um excelente astro de ação? O grande erro de Wolverine é tomá-lo por um qualquer, dar ares de um badass genérico. Ainda não estou reclamando das cenas de ação, mas da postura do nosso querido anti-herói nelas. Por exemplo: ao riscar o rastro de combustível a fim de provocar uma explosão, mas ignorá-la e, em slow motion, caminhar determinado em direção à câmera. Afinal, como diria o Lonely Island: “Quem tem tempo para assistir a explosões?”.

4 – “What? I get in fights with everybody?”

A regra é clara: a cada novo personagem, um quebra pau. Todavia, como citei no título deste erro, ao menos se reconhece a galhofice. Consequência da enorme quantidade de porradas, a distribuição de dinheiro e falta de bom senso em cada uma delas, as torna pior pensadas e executadas. Daí, temos combates mal coreografados e pouco inventivos (poxa, a galera é mutante, será que não dá pra usar os poderes para criar uma ação menos medíocre?), o velho problema dos cabos em filmes ocidentais (ou geral tem o superpoder do pulo), efeitos especiais bem xexelentos…Como o Deadpool fala no início do filme, é muita testosterona. A pior violência gratuita da história do cinema!

Blob

Esse parágrafo é quase um derivado do anterior. Contudo, nesse aqui aproveito para ilustrar com a cena mais vergonhosa de Wolverine o quão mal é utilizado o fato de termos variados mutantes na trama: o personagem de Will.i.am (sim! O maluco do Black Eyed Peas tá no filme!) tem uma brilhante ideia PG-13 de colocar o Wolverine lutando BOXE! O filme coloca, sim, o mutante dilacerador de luvas. E tanto não é zueira que, concedendo significado à cena, a recompensa do nocaute é o primeiro plot twist da magnifica trama.

5 – O 2º plot twist e o restante do roteiro

Expelido com ardência pelo mesmo reto do primeiro plot twist – por sinal, um dos roteiristas é David Benioff, um dos mandachuvas de Game of Thrones. Isso explica muita coisa da quinta temporada… – o segundo plot twist é temeroso de tão clichê e BOSTA. Coroando tal qual um milho faz as fezes, temos a pior linha de diálogo num filme de super-herói desde os bat-cartões em Batman e Robin. Sem entrar em detalhes ainda, as linhas são sobre a lenda dessa paixão já comentada no item 1 e provam incontestavelmente de que não existe Al Pacino suficiente pra dar conta desses diálogos. Hugh Jackman está absolvido.

Observem a dor de cotovelo mutante:

“A história que me contou sobre o homem que pegava flores para a lua… Entendi ao contrário. Achei que você fosse a lua e eu era o seu Wolverine. E você é o Trickster, não é? Sou só um otário que enganou. O pior é que eu devia ter percebido. Mas ignorei meus instintos. Ignorei o meu verdadeiro eu. Jamais acontecerá novamente.”

6 – A maior quantidade de sangue do filme é de mentira!

Envolvendo o supracitado 2º plot twist, a maior vermelhidão do filme do WOLVERINE é ketchup. Aliás, o Wolverine aonde estão os sentidos super aguçados? Não sacou que era ketchup? Cadê aquele olfato todo?! E, só mais uma coisa (não quero começar a falar de furo de roteiro, o texto não acabaria), Logan, meu amigo, você nem enterra sua mina? Voltando aos sangues, enfim, no cinema nunca veremos um Wolverine tão sanguinolento quanto nos quadrinhos. Apesar do eminente Deadpool, posso viver com isso. Mas nós não precisamos viver num mundo anêmico (porque a garra do Wolverine é de metal, sacou? Falta de “ferro” no sangue…), tão 8 ou 800. A falta de violência num personagem que uma vez foi descrito como a evolução do homo sapiens para um assassino perfeito não pode passar em branco.

7 – Deadpool

Rapaz… E quando o Wolverine nem é o anti-herói mais arrombado de X-Men Origins: Wolverine? Não que o Deadpool do início seja ruim. De fato, não fala a quantidade de boa merda e suas espadas drenam o sangue de seus inimigos, mas não é ruim, ruim. Existem coisas piores, como o final. Eis que surge o Arma XI (onze), a deturpação mais completa de um personagem de quadrinhos. Se o Wolverine é excelentemente descrito como a evolução do homo sapiens para o assassino perfeito, a definição mais bacana do Deadpool para mim é (numa tradução livre) “Eu sempre esqueço (ou simplesmente apago da minha mente para me poupar da agonia) que a arma mais letal de Wilson é… sua boca! Ele falará merda até você se render ou cometer suicídio”. E, acredite, eles literalmente costuram a boca da porra do Deadpool!!!

Wolverine-vs.-Deadpool

ACERTO

1 – Os créditos

Tantos os créditos iniciais, pelo que já disse no 1º dos erros, quanto os finais são muito bons – estes, pelo alívio do fim.

Anúncios

3 comentários sobre “7×1: X-Men Origens: Wolverine

O que você acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s