Frozen II

Sequência da Disney acerta ao focar na relação das irmãs Anna e Elsa, mesmo não apresentando o brilho do primeiro filme

Por Luís Gustavo Fonseca

Historicamente, a Disney sempre conseguiu emplacar grandes sucessos nos cinemas, que conseguiam a aprovação da crítica e faziam sucesso entre o público. No entanto, as sequências dessas produções, muitas vezes feitas diretamente para o mercado de home video, não conseguiam manter a qualidade do material original. Só observar alguns exemplos das obras da década de 90, como “A Pequena Sereia“, “Aladdin“, “O Rei Leão“, “O Corcunda de Notre Dame” e “Mulan“. Com o lançamento de “Frozen II”, o estúdio se vê diante da difícil tarefa de continuar com a história de sua animação de maior bilheteria da história, e que transformou-se em um fenômeno mundial ao final de 2013. Continuar lendo “Frozen II”

Star Wars: A Ascensão Skywalker

Capítulo final da jornada Skywalker é marcada por um roteiro desconjuntado, que se acovarda de decisões anteriores e opta por uma reciclagem sem criatividade de elementos já cristalizados na franquia”

Por Luís Gustavo Fonseca

Atenção: o texto envolve comentários sobre alguns aspectos de “A Ascensão Skywalker” que não são mostrados nos trailers. A leitura é recomendada para depois de assistir ao filme.

Ao longo dos últimos 42 anos, “Star Wars” se estabeleceu como a franquia mais popular e influente da história do cinema. A trilogia original, iniciada em 1977, cativou toda uma geração de fãs, que transformaram os ótimos longas originais, que retratam a clássica luta entre “o bem e o mal” com uma pegada de aventura, sci-fi e fantasia, em algo praticamente sagrado. A premissa simples, bem executada ao longo da trilogia e que contava com personagens cativantes, enraizou-se na cabeça de crianças e jovens daquela época, virando sinônimo de nostalgia e de “bons tempos” para milhares de pessoas. Continuar lendo “Star Wars: A Ascensão Skywalker”

Entre Facas e Segredos

Rian Johnson acerta em cheio ao criar trama de mistério original e que foge do padrão”

Por Luís Gustavo Fonseca

Se há um gênero no cinema que consegue envolver e despertar o fascínio do espectador, de tal maneira que ele se vê praticamente dentro do filme, é o gênero whodunnit, ou “Quem matou?“. Ao longo das décadas, filmes como “Janela Indiscreta“, “No Calor da Noite“, “Chinatown” e “Seven” caíram nas graças do público ao criarem mistérios recheados de intrigas, suspeitos, reviravoltas e resoluções inteligentes e chocantes. “Entre Facas e Segredos” chega aos cinemas não apenas para ser mais um nesta lista, mas para propor uma visão diferente sobre o gênero. Continuar lendo “Entre Facas e Segredos”

Ford vs Ferrari

“Com ótimas atuações de Matt Damon e Christian Bale, novo filme de James Mangold demonstra toda a emoção, paixão e o risco existente no automobilismo”

Por Luís Gustavo Fonseca

Não é todo dia que um filme focado em competição automobilística chega às telas do cinema. Sobretudo, uma produção que consegue colocar o espectador, de fato, dentro de um cockpit e transmitir toda a velocidade existe na prática. Nesta década, tivemos o ótimo “Rush – No Limite da Emoção“, que representou a épica rivalidade entre James Hunt e Nick Lauda na Fórmula 1 na década de 70. E, apesar de não ser focado em corrida, também os ótimos Mad Max: Estrada da Fúria” e “Em Ritmo de Fuga“, certeiros na representação da beleza – e dos perigos – da velocidade. Agora, “Ford vs Ferrari” chega para se juntar a este grupo. Continuar lendo “Ford vs Ferrari”

Link Perdido

Mesmo com história inconsistente, nova produção da LAIKA salta aos olhos pelo visual”

Por Luís Gustavo Fonseca

Uma referência dentro do formato, o estúdio LAIKA se sobressaiu na última década pela produção de animações no estilo stop motion. Na contra-mão das animações 3D que tomaram contar do mercado norte-americano nas últimas duas décadas, as obras do estúdio conseguiram conquistar tanto o público quanto a crítica, conseguindo elogios e indicações à premiações importantes como o Oscar. O novo trabalho do estúdio, “Link Perdido”, chega para mostrar, uma vez mais, a beleza envolvendo produções deste estilo de animação. Continuar lendo “Link Perdido”

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

“Inspirado na estrutura dos filmes originais, novo longa da franquia aproveita-se de algumas das melhores qualidades ensinadas por James Cameron”

Por Luís Gustavo Fonseca

Seguindo o exemplo de “Halloween” no último ano, a franquia “Exterminador do Futuro” decidiu buscar um novo início nos cinemas. Diretor dos dois primeiros longas, o cineasta James Cameron retorna para trabalhar com a franquia, atuando como produtor da nova obra. O seu envolvimento no filme é algo tão importante que este chega aos cinemas sendo “a continuação de verdade” de “Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final“, com todos os filmes lançados após 1991 sendo ignorados nesta linha temporal. Continuar lendo “O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio”

Coringa

Atuação brilhante de Joaquin Phoenix é a marca de um filme que detalha a origem e a mente perturbada do mais popular vilão do Batman”

Por Luís Gustavo Fonseca

Em 2019, um dos super-heróis mais populares do mundo, o Batman, completa 80 anos de criação. Ao longo dessas oito décadas, o Cavaleiro das Trevas protagonizou histórias que cativaram o público no mundo todo, seja em quadrinhos, desenhos, jogos ou filmes, conquistando uma legião de fãs no planeta. Entretanto, a data está sendo lembrada de uma forma bem diferente: nesta quinta-feira (3), “Coringa” chega aos cinemas brasileiros, narrando a história de um dos principais arqui inimigos do herói, que também fascinou – e chocou – multidões desde sua criação. Continuar lendo “Coringa”

Era Uma Vez em… Hollywood

“Nono filme de Quentin Tarantino é uma ótima homenagem à Hollywood dos anos 60, mas deixa de lado algumas de suas melhores características.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Desde que chamou a atenção do mundo com o lançamento de “Cães de Aluguel”, em 1992, Quentin Tarantino galgou rumo ao estrelato dentro de Hollywood. Ganhador de dois Oscar, ambos por roteiro, o diretor conquistou uma legião de fãs no mundo todo, tornando-se um dos cineastas mais populares e influentes dos últimos 25 anos. “Era Uma Vez em… Hollywood”, o seu nono filme – dos 10 que ele insiste que irá fazer antes de se aposentar – chega para remontar a infância do diretor e o fim de uma era marcante para o cinema. Continuar lendo “Era Uma Vez em… Hollywood”

O Rei Leão, Aladdin e como aproveitar melhor a história a ser contada

Por Luís Gustavo Fonseca

Nos últimos anos, a Disney vem investindo em sua mais nova mina de ouro: remakes de clássicas animações do estúdio, oferecendo a oportunidade para que novas gerações conheçam populares histórias da companhia. Após o sucesso de “Alice no País das Maravilhas”, o estúdio já repaginou uma de suas mais clássicas vilãs, “Malévola”, em um filme solo; recontou os encantos de “Cinderella” e “A Bela e a Fera” em versões modernizadas; e ofereceu uma versão super realista de Mogli em “Mogli: O Livro da Selva”. Continuar lendo “O Rei Leão, Aladdin e como aproveitar melhor a história a ser contada”

Homem-Aranha: Longe de Casa

Continuação protagonizada por Tom Holland ainda diverte, mas peca no desenvolvimento de seu protagonista

Por Luís Gustavo Fonseca

Em seus quase 60 anos de balançar as teias por Nova York, poucas vezes o Homem-Aranha teve uma era de ouro tão relevante e proveitosa como o de agora – ao menos, no meio audiovisual. A sua introdução no Universo Cinematográfico da Marvel em 2016 levou, no ano seguinte, ao ótimo “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, no qual o público pode conhecer, de fato, a nova versão do personagem para os cinemas, sendo aprovado pelo mesmo, que mostrou não ter se cansado do segundo reboot em menos de 10 anos.  Continuar lendo “Homem-Aranha: Longe de Casa”