Ford vs Ferrari

“Com ótimas atuações de Matt Damon e Christian Bale, novo filme de James Mangold demonstra toda a emoção, paixão e o risco existente no automobilismo”

Por Luís Gustavo Fonseca

Não é todo dia que um filme focado em competição automobilística chega às telas do cinema. Sobretudo, uma produção que consegue colocar o espectador, de fato, dentro de um cockpit e transmitir toda a velocidade existe na prática. Nesta década, tivemos o ótimo “Rush – No Limite da Emoção“, que representou a épica rivalidade entre James Hunt e Nick Lauda na Fórmula 1 na década de 70. E, apesar de não ser focado em corrida, também os ótimos Mad Max: Estrada da Fúria” e “Em Ritmo de Fuga“, certeiros na representação da beleza – e dos perigos – da velocidade. Agora, “Ford vs Ferrari” chega para se juntar a este grupo. Continuar lendo “Ford vs Ferrari”

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

“Inspirado na estrutura dos filmes originais, novo longa da franquia aproveita-se de algumas das melhores qualidades ensinadas por James Cameron”

Por Luís Gustavo Fonseca

Seguindo o exemplo de “Halloween” no último ano, a franquia “Exterminador do Futuro” decidiu buscar um novo início nos cinemas. Diretor dos dois primeiros longas, o cineasta James Cameron retorna para trabalhar com a franquia, atuando como produtor da nova obra. O seu envolvimento no filme é algo tão importante que este chega aos cinemas sendo “a continuação de verdade” de “Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final“, com todos os filmes lançados após 1991 sendo ignorados nesta linha temporal. Continuar lendo “O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio”

Era Uma Vez em… Hollywood

“Nono filme de Quentin Tarantino é uma ótima homenagem à Hollywood dos anos 60, mas deixa de lado algumas de suas melhores características.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Desde que chamou a atenção do mundo com o lançamento de “Cães de Aluguel”, em 1992, Quentin Tarantino galgou rumo ao estrelato dentro de Hollywood. Ganhador de dois Oscar, ambos por roteiro, o diretor conquistou uma legião de fãs no mundo todo, tornando-se um dos cineastas mais populares e influentes dos últimos 25 anos. “Era Uma Vez em… Hollywood”, o seu nono filme – dos 10 que ele insiste que irá fazer antes de se aposentar – chega para remontar a infância do diretor e o fim de uma era marcante para o cinema. Continuar lendo “Era Uma Vez em… Hollywood”

O Rei Leão, Aladdin e como aproveitar melhor a história a ser contada

Por Luís Gustavo Fonseca

Nos últimos anos, a Disney vem investindo em sua mais nova mina de ouro: remakes de clássicas animações do estúdio, oferecendo a oportunidade para que novas gerações conheçam populares histórias da companhia. Após o sucesso de “Alice no País das Maravilhas”, o estúdio já repaginou uma de suas mais clássicas vilãs, “Malévola”, em um filme solo; recontou os encantos de “Cinderella” e “A Bela e a Fera” em versões modernizadas; e ofereceu uma versão super realista de Mogli em “Mogli: O Livro da Selva”. Continuar lendo “O Rei Leão, Aladdin e como aproveitar melhor a história a ser contada”

Homem-Aranha: Longe de Casa

Continuação protagonizada por Tom Holland ainda diverte, mas peca no desenvolvimento de seu protagonista

Por Luís Gustavo Fonseca

Em seus quase 60 anos de balançar as teias por Nova York, poucas vezes o Homem-Aranha teve uma era de ouro tão relevante e proveitosa como o de agora – ao menos, no meio audiovisual. A sua introdução no Universo Cinematográfico da Marvel em 2016 levou, no ano seguinte, ao ótimo “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, no qual o público pode conhecer, de fato, a nova versão do personagem para os cinemas, sendo aprovado pelo mesmo, que mostrou não ter se cansado do segundo reboot em menos de 10 anos.  Continuar lendo “Homem-Aranha: Longe de Casa”

MIB: Homens de Preto – Internacional

“Novo capítulo da franquia tem roteiro pouco inspirado, mas que é compensado pela carisma de Tessa Thompson e Chris Hemsworth”

Por Luís Gustavo Fonseca

Estrelada por Will Smith e Tommy Lee Jones, a franquia “MIB: Homens de Preto” tornou-se um incrível sucesso comercial no final dos anos 90. Acompanhando dois agentes de uma organização de proteger a Terra de ameaças alienígenas, ao mesmo tempo em que ajudava e trabalhava ao lado de alguns desses extraterrestres, as obras caíram no gosto do público, que tinha como base a ótima junção entre fantasia, ficção científica e elementos de comédias policiais, no melhor estilo buddy cops. Nove anos após o lançamento do terceiro filme, “MIB: Homens de Preto – Internacional” chega com a missão de dar continuidade ao legado da série, mas com novos rostos como protagonistas. Continuar lendo “MIB: Homens de Preto – Internacional”

X-men: Fênix Negra

“Sem explorar os personagens, capítulo final da saga mutante pela Fox apresenta um desfecho melancólico e desinteressante”

Por Luís Gustavo Fonseca

Se hoje o gênero de super-heróis é o que é nos cinemas, muito se deve a franquia “X-men”, iniciada nos anos 2000. Um verdadeiro marco para o entretenimento, o primeiro filme continuou o ressurgimento iniciado por “Blade” um ano antes e mostrou que, sim, havia espaço para fazer bons filmes do gênero novamente, após o desastre de “Batman & Robin”. Nesses 19 anos, a saga passou por altos e baixos, foi reformulada nos cinemas, criou uma confusa – mas estranhamente, charmosa – linha temporal e comprovou a relevância desses personagens, que continuaram a ter grande apelo do público. Continuar lendo “X-men: Fênix Negra”

Rocketman

“Equilibrando com sabedoria lado dramático com a fantasia de musical, cinebiografia de Elton John tem como base excelente atuação de Taron Egerton”

Por Luís Gustavo Fonseca

Recentemente, o longa que contou a história do Queen para o mundo, “Bohemian Rhapsody“, alcançou não apenas um estrondoso sucesso comercial, faturando mais de US$ 900 milhões no mundo todo, como prestígio na temporada de premiações (algo que surpreendeu a muitas pessoas), faturando prêmios e vencendo o Oscar de Melhor Ator com Rami Malek. Meses depois e ainda um pouco no embalo desta repercussão, é chegada a hora de outro ícone da música, o britânico Elton John, ter sua vida retratada em “Rocketman”. Continuar lendo “Rocketman”

Godzilla II – Rei dos Monstros

Núcleo humano ainda não convence, mas continuação acerta ao promover uma épica batalha entre titãs

Por Luís Gustavo Fonseca

Em 2014, a Warner Bros. investiu pesado na criação de um novo universo compartilhado, seguindo a fórmula de sucesso que a Marvel havia emplacado. Apostando nos clássicos monstros que marcaram o cinema, ela deu uma nova roupagem ao Godzilla, mitológica criatura do cinema japonês, e dando início ao chamado Monsterverse. Em 2017, um novo elemento deste mundo foi visto em “Kong: Ilha da Caveira”, atualizando o King Kong. Agora, é chegada a hora de um novo capítulo da história do Rei dos Monstros, enquanto o encontro entre as duas entidades ainda não acontece. Continuar lendo “Godzilla II – Rei dos Monstros”

John Wick 3: Parabellum

Investindo nas principais qualidades dos filmes anteriores, novo capítulo é o mais visceral e empolgante da franquia de ação”

Por Luís Gustavo Fonseca

O sucesso conquistado por John Wick desde o lançamento de seu primeiro filme, em 2014, é uma das melhores surpresas que houveram no cinema nesta década. Com uma ação visceral e bem filmada, uma pancadaria de primeira e um legítimo protagonista badass, a franquia foi se tornando cada vez mais popular e caindo nas graças do público. Em seu terceiro longa, “Parabellum”, a série estrelada por Keanu Reeves alcança um novo patamar, sedimentando de vez o personagem como um dos melhores heróis da ação moderna. Continuar lendo “John Wick 3: Parabellum”