Vingadores: Guerra Infinita

Um marco não só para a Marvel Studios, mas para o gênero de super-heróis.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Em 2008, a Marvel Studios apresentava ao mundo seu primeiro filme, “Homem de Ferro” e, com isso, dava um passo importante para mudar a história da indústria cinematográfica para sempre. A partir do momento em que Nick Fury convida o herói para ouvir mais sobre a “iniciativa Vingadores”, o estúdio apostava todas as suas fichas na ideia de um universo compartilhado, o MCU (sigla para “Marvel Cinematic Universe”), que uniria personagens de diferentes filmes em um grande encontro. Algo que era, até então, inédito – ao menos, na escala em que se propunha. Continuar lendo “Vingadores: Guerra Infinita”

Anúncios

Um Lugar Silencioso

“Agoniante e imersivo, suspense de John Krasinski é um filme que exige e merece ser visto no cinema.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Imagine viver sem ter que fazer nenhum som. Caso contrário, uma criatura cega e selvagem viria em seu rastro e te mataria. Atos banais, como correr, preparar um alimento ou dirigir algum veículo poderiam significar a morte, sendo que, aparentemente, não há defesas contra o monstro. Dessa premissa, que poderia facilmente ser um longa da franquia “Cloverfield” ou um novo filme do diretor M. Night Shyamalan (“Fragmentado”), surge um dos suspenses mais emblemáticos e bem realizados desta década. Continuar lendo “Um Lugar Silencioso”

Jogador Nº 1

“Steven Spielberg retorna em grande estilo ao universo dos blockbusters, em adaptação certeira e repleta de referências a cultura pop.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Talvez seja impossível falar dos anos 80 e do gênero de blockbusters sem citar o nome do célebre diretor Steven Spielberg. Ele foi o responsável por criar o primeiro grande blockbuster do cinema, “Tubarão“, em 1975, e desde então, criou outros diversos sucessos comercias, que conquistaram o público no mundo todo. Os anos 80 e 90 foram marcados pelo seu ápice, com o lançamento de longas como “E.T – O Extraterrestre“, a trilogia “Indiana Jones“, “Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros“, além da trilogia “De Volta para o Futuro”, de qual foi produtor. Continuar lendo “Jogador Nº 1”

Tomb Raider: A Origem

Apostando no seguro, adaptação da clássica personagem dos videogames tem resultado satisfatório, mas que desperdiça potencial.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Há mais de 20 anos, em 1996, era lançado o primeiro jogo da franquia “Tomb Raider”, que brindaria o mundo dos games com uma das mais icônicas e queridas personagens dos videogames de todos os tempos: a arqueóloga Lara Croft. Ao longo de duas décadas, a série estrelada pela aventureira ganhou inúmeros jogos, de videogames até smartphones, além de já ter sido adaptada para os cinemas, quando foi interpretada por Angelina Jolie, no que é, até hoje, um de seus papéis mais lembrados. Continuar lendo “Tomb Raider: A Origem”

Operação Red Sparrow

Adaptação de thriller de espionagem ousa em linguagem adulta, mas apresenta execução precária e ritmo arrastado.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Um simples acaso, como um acidente durante uma apresentação de balé, pode mudar todo o destino de uma pessoa. Isso é o que acontece com a bailarina russa Dominika Egorova (Jennifer Lawrence, de “mãe!“), que quebra a perna durante uma apresentação e vê sua carreira chegar ao fim. Sem dinheiro para sustentar o tratamento da mãe doente, Dominika aceita uma ousada proposta de seu tio, membro do programa russo de espionagem: tornar-se uma Sparrow, ou seja, uma sedutora espiã, treinada na melhor e mais rígida escola de espionagem do país. Continuar lendo “Operação Red Sparrow”

Pantera Negra

“Com roteiro com discurso afiado e com uma identidade própria que valoriza a cultura negra, Marvel cria produção que pode ser um divisor de águas para o gênero.”

Por Luís Gustavo Fonseca

O Pantera Negra foi o primeiro herói negro criado para o meio mainstream dos quadrinhos, em 1966, pelas mãos de Stan Lee e Jack Kirby na edição 52 da revista do “Quarteto Fantástico”. Desde então, o herói ganhou um título solo na Marvel, e com o passar das décadas, tornou-se cada vez mais popular, sendo o primeiro passo para que novos heróis negros, como o Falcão, Tempestade, John Stewart, Blade, Máquina de Combate e Ciborgue, fossem criados nos anos seguintes. Continuar lendo “Pantera Negra”

Lady Bird – A Hora de Voar

Em sua estreia como diretora, Greta Gerwig consegue conquistar o espectador com trama singela, tocante e universal.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Poucas coisas são tão relacionáveis e universais como os dramas, as angústias e as expectativas existentes na adolêscencia. A pressão de ir bem nos estudos, de decidir que área gostaria de cursar na universidade (e consequentemente, de decidir que rumo tomar na carreira profissional), a vontade de ter muitos amigos e estar bem enturmado, aproveitar festas, de começar um romance com aquela paquera da escola, além daquela certeza (quase sempre, irritável) de achar que sabe mais do que seus pais, e que agora pode ser dono do próprio nariz… Aspectos que todos (ou quase todos) já vivenciaram e que, apesar de mudanças em certos detalhes, é um sentimento compartilhado por muita gente. Continuar lendo “Lady Bird – A Hora de Voar”

Três Anúncios para um Crime

“Feito para o Oscar, ‘Três Anúncios para um Crime’ se destaca por roteiro consistente, personagens humanos e trinca forte de atuações.”

Por Luís Gustavo Fonseca

A perspectiva de injustiça e a inconformidade com a ineficácia do sistema judicial em relação a um crime não resolvido são uma das piores cicatrizes deixadas com aqueles que perderam um parente ou um amigo querido. Não bastasse o vazio deixado pela ausência da pessoa, os que ficam ainda devem lidar com a sensação de insatisfação e indignação ao ver que aqueles que cometeram algo de errado não terão seus atos responsabilizados. Continuar lendo “Três Anúncios para um Crime”

A Forma da Água

Em seu filme mais adulto, Guillermo del Toro conta fascinante fábula de amor.

Por Luís Gustavo Fonseca

O diretor Guillermo del Toro (“A Colina Escarlate”) é um dos cineastas que mais me chama a atenção. Isso não se deve apenas pelo capricho visual de suas obras, mas pelas ideias presentes em seus roteiros – e também daquelas não chegam a se tornar um filme, como o caso da “Liga da Justiça Sombria”. A carreira do mexicano acumula ótimos longas, como “Círculo de Fogo”, “O Labirinto do Fauno” e os dois “Hellboy”. Em todas as suas obras, o diretor e roteirista sempre procurou explorar a mistura entre a fantasia e o terror, de mundos fantásticos e criaturas incríveis com a inocência e a humanidade existente nos seres humanos… E também nas criaturas. Continuar lendo “A Forma da Água”

The Post: A Guerra Secreta

Em tempos de fake news, novo longa de Steven Spielberg reforça a importância do questionamento às autoridades”

Por Luís Gustavo Fonseca

No começo da década de 70, os EUA se viram diante de um dos maiores escândalos – e, consequentemente, de um dos maiores embates – de sua história. O jornal The New York Times publicou uma série de reportagens no caso que ficou conhecido como “Pentagon Papers” (“Papéis do Pentágono”). O documento ultra secreto, com 14 mil páginas e feito pelo governo americano, detalhava as operações militares, diagnósticos dos resultadas e tomadas de decisão em relação a Guerra do Vietnã, conflito iniciado em 1959 e se estendeu até 1975. Continuar lendo “The Post: A Guerra Secreta”