O Rei do Show

Por Luís Gustavo Fonseca

O showman P.T. Barnum foi um dos grandes responsáveis pela popularização da imagem do circo que temos hoje, do grande espetáculo acontecendo no picadeiro com uma lona gigante cobrindo tudo. Os shows comandado por ele envolviam trapezistas, animais gigantes, palhaços e seres “extraordinários” como a Mulher Barbada, anões e gigantes – tudo falso, o que consagrou o seu apelido como “Príncipe das Falcatruas”. O filme “O Rei do Show” foca na vida de Barnum, interpretado por Hugh Jackman (“Logan”), e como ele se tornou uma das figuras mais célebres dos EUA no século XIX. Continuar lendo “O Rei do Show”

Logan

“Em sua última participação no papel, Hugh Jackman tem um adeus merecido como Wolverine.”

Por Luís Gustavo Fonseca

A essa altura do campeonato, falar como os X-men (e, consequentemente, o Wolverine) mudaram a história das produções baseadas em HQs  é o mesmo do que chover no molhado. Desde o sucesso do primeiro filme, lançado há 17 anos, Hollywood passou olhar para os super heróis de outra forma, criando um gênero que hoje é o mais lucrativo da indústria. E ao longo desses anos, em que a cronologia dos mutantes virou uma bagunça e motivo de piada (mas ainda vamos ver cada novo lançamento, independentemente), Hugh Jackman sempre esteve na pele que recobre os ossos de adamantium de um dos personagens mais queridos do grupo e da cultura pop atual. Continuar lendo “Logan”

X-men: Apocalipse

“Novo capítulo da franquia mutante entrega um bom resultado, mas desperdiça potencial”

Por Luís Gustavo Fonseca

Em um ano em que temos um segundo Batman nos últimos 11 anos – e o terceiro Homem-Aranha desde 2002 -, chega a ser curioso pensar que a saga mutante dos cinemas continua firme e forte. Claro que ela passou por mudanças desde seu lançamento, em um “distante” ano 2000. A maioria esmagadora do elenco mudou, eles voltaram no tempo, houve uma espécie de reboot, mas o Bryan Singer (e o Hugh Jackman!) ainda estão presentes. Afinal, convenhamos: nós adoramos essa maluquice cronológica que são os X-men nas telonas. Continuar lendo “X-men: Apocalipse”

7×1: X-Men Origens: Wolverine

Por Matheus Araujo

Diferente dos demais filmes abordados no 7×1, eu não lembrava que X-Men Origens: Wolverine era tão merda. Óbvio, todos os outros são horríveis, mas admito certo exagero ao escancarar seus problemas. Teorizo que por precaução meu cérebro tenha apagado a deprimente experiência que faz Quarteto Fantástico parecer de uma genialidade mal compreendida.

Continuar lendo “7×1: X-Men Origens: Wolverine”

Os Suspeitos

“Roteiro, atuações e direção fazem de Os Suspeitos um dos melhores suspenses dos últimos anos.”

 

Por Luís Gustavo Fonseca

Eu gosto muito de suspense, mesmo que não pare para ver TODOS os filmes que são lançados da categoria. A temática do gênero, de prender sua atenção a todo instante, enquanto você tenta resolver o quebra cabeça da obra no decorrer do longa, é de muito bom gosto. E Os Suspeitos, de 2013, é um dos melhores exemplos dos últimos anos nesse quesito. Continuar lendo “Os Suspeitos”

[REVIEW] Peter Pan

“Quando a releitura da obra sobre infância esquece de sua própria criança.”

Matheus Araujo

Em meio as recentes releituras dos clássicos infantis, Peter Pan tem a pretensão de desconstruir o menino que se recusa a crescer. Ao mostrar como Peter (Levi Miller) chegou à Terra do Nunca, quando lá ainda James Hook (Garret Hedlund) não é o famoso capitão e o território está sujeito as maldades de outro imortal bucaneiro, Barba Negra (Hugh Jackman), que, pelo que se sabe, dizimou as fadas.

Continuar lendo “[REVIEW] Peter Pan”

Chappie

“Neill Blomkamp ainda fica devendo, mas proporciona outro bom filme”

Por Luís Gustavo Fonseca

 

Essa não é a primeira vez (e, provavelmente, não será a última) que irei recorrer ao futebol para fazer uma analogia com o cinema: Neill Blomkamp pode ser considerado o clássico exemplo do jovem jogador, das categorias do clube, que entra em campo em uma partida decisiva e desequilibra. Faz gol, dá passe, dribla e proporciona um verdadeiro baile. É escolhido o melhor em campo, vira capa de jornal no dia seguinte e é foco das discussões de mesas redondas por todo país. Enfim, do anonimato, se transforma em uma grande estrela. Continuar lendo “Chappie”