Homem-Aranha: Longe de Casa

Continuação protagonizada por Tom Holland ainda diverte, mas peca no desenvolvimento de seu protagonista

Por Luís Gustavo Fonseca

Em seus quase 60 anos de balançar as teias por Nova York, poucas vezes o Homem-Aranha teve uma era de ouro tão relevante e proveitosa como o de agora – ao menos, no meio audiovisual. A sua introdução no Universo Cinematográfico da Marvel em 2016 levou, no ano seguinte, ao ótimo “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, no qual o público pode conhecer, de fato, a nova versão do personagem para os cinemas, sendo aprovado pelo mesmo, que mostrou não ter se cansado do segundo reboot em menos de 10 anos.  Continuar lendo “Homem-Aranha: Longe de Casa”

Vida

Por Luís Gustavo Fonseca

Confesso que não tinha muita expectativa por Vida. Pelo trailer, a impressão é que se tem era de que o filme seria uma mistura genérica e sem inspiração de Gravidade e Alien. Inclusive, ao olhar mais de perto o plot, a obra de fato apresenta similaridades com o segundo: um grupo de seis cientistas da Estação Espacial Internacional consegue amostras trazidas por uma sonda de Marte. No meio delas, eles encontram uma espécie de pequeno protozoário, o que seria uma prova irrefutável de que há vida fora da Terra. Entretanto, à medida que os estudos avançam, o misterioso ser se transforma de algo inofensivo para uma criatura cada vez mais inteligente, o que colocará a vida da tripulação (e talvez do planeta) em risco. Continuar lendo “Vida”

Animais Noturnos

Por Luís Gustavo Fonseca

Susan Morrow (Amy Adams) é dona de uma galeria de arte e conquistou sucesso em sua carreira, mas atravessa um momento distante  com seu atual marido, Hutton Morrow (Armie Hammer). A vida vazia e à deriva que ela leva é chacoalhada quando recebe o romance Animais Noturnos, escrito pelo seu ex-cônjuge Tony Hastings (Jake Gyllenhaal). A trama do suspense, ambientada no interior do Texas, é recheada de violência e vingança, e mexe com os sentimentos de Susan, a medida que ela se projeta no livro ao lado de Tony, como os protagonistas da história. Continuar lendo “Animais Noturnos”

Uma segunda chance para Duncan Jones

Por Luís Gustavo Fonseca

Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos, um dos blockbusters que eu mais aguardava este ano, estreou na última quinta-feira. Além de ser a adaptação de um dos meus jogos mais queridos, o filme marcava o retorno de Duncan Jones a direção, após um hiato de cinco anos, em que esteve atrelado a realização de Warcraft, seu primeiro blockbuster. Continuar lendo “Uma segunda chance para Duncan Jones”

Os Suspeitos

“Roteiro, atuações e direção fazem de Os Suspeitos um dos melhores suspenses dos últimos anos.”

 

Por Luís Gustavo Fonseca

Eu gosto muito de suspense, mesmo que não pare para ver TODOS os filmes que são lançados da categoria. A temática do gênero, de prender sua atenção a todo instante, enquanto você tenta resolver o quebra cabeça da obra no decorrer do longa, é de muito bom gosto. E Os Suspeitos, de 2013, é um dos melhores exemplos dos últimos anos nesse quesito. Continuar lendo “Os Suspeitos”

Nocaute

“Filme de boxe de Antoine Fuqua ainda não é o trabalho que levará Jake Gyllenhaal ao Oscar”

Por Luís Gustavo Fonseca

Geralmente, quando falamos em um ator que busca incessantemente a conquista de um Oscar, o primeiro nome que vem a cabeça é o de Leonardo DiCaprio, a ponto do assunto ter se transformado em um meme pela Internet. Mas ele não é o único que almeja este reconhecimento. Nos últimos anos, outro ator vem se arriscando em papéis de variados estilos na tentativa de conquistar o careca dourado: Jake Gyllenhaal. E Nocaute é a sua mais nova investida para alcançar o prêmio. Continuar lendo “Nocaute”