Deadpool 2

Sequência estrelada pelo Mercenário Tagarela entrega humor irreverente, mas peca no drama e fica aquém do original.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Em 2016, “Deadpool” chegou ao (cada vez mais cheio) mundo dos super heróis com uma série de peculiaridades que o distinguiam dos demais longas do gênero: com uma classificação indicativa para maiores de 18, a produção apostava em cenas de violência e sanguinolência pesadas, piadas infames envolvendo sexo e masturbação e o fato do protagonista conversar com o público e ter ciência que está dentro de uma obra cinematográfica, reproduzindo uma das características do personagem mais conhecidas. Tudo isso afastado do restante do universo dos X-men e embalado como uma “história de amor”, vendido tanto no marketing do filme quanto dito dentro da própria trama. Continuar lendo “Deadpool 2”

Anúncios

Vingadores: Guerra Infinita

Um marco não só para a Marvel Studios, mas para o gênero de super-heróis.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Em 2008, a Marvel Studios apresentava ao mundo seu primeiro filme, “Homem de Ferro” e, com isso, dava um passo importante para mudar a história da indústria cinematográfica para sempre. A partir do momento em que Nick Fury convida o herói para ouvir mais sobre a “iniciativa Vingadores”, o estúdio apostava todas as suas fichas na ideia de um universo compartilhado, o MCU (sigla para “Marvel Cinematic Universe”), que uniria personagens de diferentes filmes em um grande encontro. Algo que era, até então, inédito – ao menos, na escala em que se propunha. Continuar lendo “Vingadores: Guerra Infinita”

Ave, César!

“Nova produção dos irmãos Coen aposta no humor diferente da dupla para pescar atenção do público”

Por Luís Gustavo Fonseca

Com o passar dos anos, os irmãos Joel e Ethan Coen se tornaram uns dos meus diretores favoritos, sobretudo pelo humor único da dupla e pela diversidade de abordagem nas obras. Após ver quase toda a filmografia da dupla, é até estranho pensar que eles são os responsáveis por produções tão diferentes como Fargo, Queime Depois de Ler, Onde os Fracos não Têm Vez, E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? e Arizona Nunca Mais (putz, John Goodman e Nicolas Cage com o humor dos Coen. Se você ainda não viu, assista!). Com esse histórico, e contando com um baita elenco, não havia como não ficar ansioso por Ave, César! Continuar lendo “Ave, César!”

Sicario: Terra de Ninguém

“Em novo filme, Denis Villeneuve reafirma sua competência e qualidade.”

Por Luís Gustavo Fonseca

 

Denis Villeneuve é um dos ‘novos’ cineastas que, talvez, fuja um pouco da regra imposta pelo mercado. Nos últimos anos, diretores de filmografia curta foram alavancados imediatamente para comandarem grandes blockbusters. É o caso de Josh Trank com o novo Quarteto Fantástico; Colin Trevorrow com Jurassic World e, agora, Star Wars Episódio IX; Gareth Edwards com Godzilla e Star Wars: Rogue One; do próprio Neil Blomkamp, que após ter sido indicado a Melhor Filme do Oscar por Distrito 9, lidou com um grande orçamento em Elysium e voltará aos holofotes com Alien. Vileneuve também está nesse bolo, já que terá a difícil missão de dirigir a sequência de Blade Runner, um dos maiores clássicos da ficção científica. Continuar lendo “Sicario: Terra de Ninguém”