Steve Jobs

“Atuações, direção, roteiro… Até o perfeccionista Jobs os aprovaria”.

Por Matheus Araujo

Desde o falecimento de Steve Jobs, uma espécie de desespero para louvá-lo se instalou – certos fanboys da Apple são quase fanáticos religiosos. Não direcionando a culpa, mas este comportamento ansioso não rendeu a retratação que o visionário merecia. Definitivamente, o mesmo não será dito do recente longa-metragem de Danny Boyle.

Continuar lendo “Steve Jobs”

[REVIEW] Insurgente

“Continuação mostra capacidade de evolução, mas franquia ainda não deslanchou”

 

Por Luís Gustavo Fonseca

 

Geralmente, a segunda parte de uma trilogia traz consigo aspectos interessantes em relação a sua estrutura narrativa, aspectos que na maioria das vezes, me agradam. Ele não tem a tarefa “chata” de apresentar todo um universo fictício a partir do zero, o protagonista e suas principais relações (seja com amigos ou com o antagonista) e o plano de fundo principal da obra. Contudo, ele deve tomar cuidado para possuir um clímax “controlado”, já que, tradicionalmente, o desfecho principal e mais marcante fica ao fim da trilogia. Essa “função de ponte” entre o começo e o fim requer cuidado e capricho aos realizadores. Continuar lendo “[REVIEW] Insurgente”

Divergente

“Um início ameno, marcado pela falta de carisma, é o pontapé para nova franquia infanto-juvenil”.

 

Por Luís Gustavo Fonseca

A esta altura do campeonato, acho que todos já estão cientes do boom que as adaptações infanto-juvenis tiveram. A intensificação veio com o sucesso do Crepúsculo. Muitas bombas e muitos fracassos seguiram este processo, nesse fervoroso mercado que se tornou um dos principais alvos do cinema nos últimos 15 anos. Continuar lendo “Divergente”