John Wick 3: Parabellum

Investindo nas principais qualidades dos filmes anteriores, novo capítulo é o mais visceral e empolgante da franquia de ação”

Por Luís Gustavo Fonseca

O sucesso conquistado por John Wick desde o lançamento de seu primeiro filme, em 2014, é uma das melhores surpresas que houveram no cinema nesta década. Com uma ação visceral e bem filmada, uma pancadaria de primeira e um legítimo protagonista badass, a franquia foi se tornando cada vez mais popular e caindo nas graças do público. Em seu terceiro longa, “Parabellum”, a série estrelada por Keanu Reeves alcança um novo patamar, sedimentando de vez o personagem como um dos melhores heróis da ação moderna. Continuar lendo “John Wick 3: Parabellum”

John Wick – Um Novo Dia Para Matar

“Pancadaria e violência marcam volta do assassino profissional em trama pouco inovadora.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Em 2014, John Wick (no Brasil, batizado de De Volta ao Jogo) foi uma das mais gratas surpresas do ano. A produção teve relativo sucesso nas bilheterias: custando 20 milhões de dólares, o longa somou US$ 88 milhões no mundo todo. Com uma trama simplória, a obra ganhou a admiração pelas cenas de luta e tiroteio bem coreografadas, pela violência justificada em tela e por ter um protagonista não tanto carismático, mas que devido à ação conseguiu conquistar o público. O filme ainda conquistou uma nova legião de fãs quando chegou ao home video e serviços de streaming, popularizando ainda mais a produção e o personagem principal. O repentino sucesso foi o suficiente para que, três anos depois, a continuação chegasse às telonas. Continuar lendo “John Wick – Um Novo Dia Para Matar”

De Volta ao Jogo

“Ação estrelada por Keanu Reeves talvez seja a melhor surpresa do ano”

Por Luís Gustavo Fonseca

 

Considero Keanu Reeves uma estrela (dá para considerar ele uma estrela?) diferente de Hollywood. O cara foi a estrela principal de um dos filmes mais cultuados de todos os tempos, mas tirando a trilogia Matrix, eu não consigo lembrar dele em outros papéis. OK, ele fez o Constantie, Advogado do Diabo, Velocidade Máxima (LOL), Os Reis da Rua… Mas sei lá. A carreira dele não deslanchou como eu suspeito que deveria ter deslanchado após o sucesso de Matrix. Minha afeição com ele vem muito mais por causa da história de vida dele (sério, se você não conhece, dê uma googlada aí. É tensa.). Continuar lendo “De Volta ao Jogo”