Lady Bird – A Hora de Voar

Em sua estreia como diretora, Greta Gerwig consegue conquistar o espectador com trama singela, tocante e universal.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Poucas coisas são tão relacionáveis e universais como os dramas, as angústias e as expectativas existentes na adolêscencia. A pressão de ir bem nos estudos, de decidir que área gostaria de cursar na universidade (e consequentemente, de decidir que rumo tomar na carreira profissional), a vontade de ter muitos amigos e estar bem enturmado, aproveitar festas, de começar um romance com aquela paquera da escola, além daquela certeza (quase sempre, irritável) de achar que sabe mais do que seus pais, e que agora pode ser dono do próprio nariz… Aspectos que todos (ou quase todos) já vivenciaram e que, apesar de mudanças em certos detalhes, é um sentimento compartilhado por muita gente. Continuar lendo “Lady Bird – A Hora de Voar”

Três Anúncios para um Crime

“Feito para o Oscar, ‘Três Anúncios para um Crime’ se destaca por roteiro consistente, personagens humanos e trinca forte de atuações.”

Por Luís Gustavo Fonseca

A perspectiva de injustiça e a inconformidade com a ineficácia do sistema judicial em relação a um crime não resolvido são uma das piores cicatrizes deixadas com aqueles que perderam um parente ou um amigo querido. Não bastasse o vazio deixado pela ausência da pessoa, os que ficam ainda devem lidar com a sensação de insatisfação e indignação ao ver que aqueles que cometeram algo de errado não terão seus atos responsabilizados. Continuar lendo “Três Anúncios para um Crime”

A Forma da Água

Em seu filme mais adulto, Guillermo del Toro conta fascinante fábula de amor.

Por Luís Gustavo Fonseca

O diretor Guillermo del Toro (“A Colina Escarlate”) é um dos cineastas que mais me chama a atenção. Isso não se deve apenas pelo capricho visual de suas obras, mas pelas ideias presentes em seus roteiros – e também daquelas não chegam a se tornar um filme, como o caso da “Liga da Justiça Sombria”. A carreira do mexicano acumula ótimos longas, como “Círculo de Fogo”, “O Labirinto do Fauno” e os dois “Hellboy”. Em todas as suas obras, o diretor e roteirista sempre procurou explorar a mistura entre a fantasia e o terror, de mundos fantásticos e criaturas incríveis com a inocência e a humanidade existente nos seres humanos… E também nas criaturas. Continuar lendo “A Forma da Água”

The Post: A Guerra Secreta

Em tempos de fake news, novo longa de Steven Spielberg reforça a importância do questionamento às autoridades”

Por Luís Gustavo Fonseca

No começo da década de 70, os EUA se viram diante de um dos maiores escândalos – e, consequentemente, de um dos maiores embates – de sua história. O jornal The New York Times publicou uma série de reportagens no caso que ficou conhecido como “Pentagon Papers” (“Papéis do Pentágono”). O documento ultra secreto, com 14 mil páginas e feito pelo governo americano, detalhava as operações militares, diagnósticos dos resultadas e tomadas de decisão em relação a Guerra do Vietnã, conflito iniciado em 1959 e se estendeu até 1975. Continuar lendo “The Post: A Guerra Secreta”

Me Chame pelo Seu Nome

Timothée Chalamet brilha em drama dotado de enorme sensibilidade

Por Luís Gustavo Fonseca

No verão de 1983, em uma cidadezinha no interior da Itália, Elio (Timothée Chalamet) leva uma vida bastante pacata e preguiçosa ao lado de seus pais. Entre compor suas músicas, tocar piano e “apenas esperar o verão acabar”, a rotina do jovem de 17 anos não tem muitas emoções. Entretanto, a chegada de Oliver (Armie Hammer), um acadêmico que irá ajudar o pai de Elio em suas pesquisas arqueológicas, altera este cenário. Com o visitante ficando na residência durante semanas, uma caminhada de descoberta da sexualidade do jovem se inicia, a medida que a relação entre ele e Oliver floresce. Continuar lendo “Me Chame pelo Seu Nome”

Dunkirk

“Com trama que narra importante episódio da Segunda Guerra, Christopher Nolan sai na frente na corrida pelo Oscar.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Christopher Nolan é um dos diretores mais prestigiados de Hollywood atualmente. Acumulando fãs pelo mundo todo, o cineasta tem obras que, sendo superestimadas ou não, caíram no gosto do público e são tidas como referências. Assim como Quentin Tarantino (que tem um status atual semelhante), cada novo projeto de Nolan cria grande expectativa, deixando o público ansioso. Dessa vez, ele deixa de lado os mundos de vigilantismo, de sonhos e de viagens interestelares e se dedica a um fato histórico: a evacuação de 400 mil soldados britânicos da praia de Dunkirk, localizada no litoral francês, em 1940. Uma operação difícil e arriscada, já que as tropas nazistas, que cercam a cidade por todos os lados, farão de tudo para impedir que a empreitada seja bem sucedida. Continuar lendo “Dunkirk”

Um Limite Entre Nós

 

“Denzel Washington e Viola Davis carregam uma das obras mais poderosas do Oscar deste ano.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Antes de mais nada, eu acho uma pena que nem todos os filmes que concorreram ao Oscar (ao menos, na categoria Melhor Filme, que é a principal) conseguissem ser lançados antes da premiação aqui no Brasil. Por um lado, entendo que é uma missão complicada, já que a concorrência com outras grandes produções é dura (e os meses de janeiro e fevereiro estão sendo cada vez mais visados pelos estúdios), e a maioria desses longas tem a distribuição feita por estúdios menores, que não tem como competir com os grandes estúdios. Entretanto, caso a pessoa quisesse ver os nove indicados antes da premiação, teria que recorrer a fontes “alternativas” para escolher o seu favorito. Continuar lendo “Um Limite Entre Nós”

Moonlight: Sob a Luz do Luar

Por Luís Gustavo Fonseca

Entre os nove indicados ao prêmio de Melhor Filme do Oscar deste ano, Moonlight deve ser, ao lado de Manchester à Beira-Mar, o mais inquietante. O enredo, que adapta a história de Tarell Alvin McCraney, acompanha três momentos distintos da vida de Chiron (vivido por Alex R. Hibbert, Ashton Sanders e Trevante Rhodes), em uma jornada que vai da infância até a fase adulta e que mistura preconceito e auto descoberta. Continuar lendo “Moonlight: Sob a Luz do Luar”

Lion: Uma Jornada para Casa

Por Luís Gustavo Fonseca

Em um espaço de 25 anos, “mundos inteiros mudam.” Será que depois de tanto tempo, é possível reencontrar a família deixada para trás? Esse é a história de Saroo Brierley (interpretado por Sunny Pawar quando jovem e Dev Patel na fase adulto), um garotinho indiano que acidentalmente entrou em um trem que o levou da Índia para Bangladesh, separando-se da mãe, do irmão e da irmã. Sem ao menos lembrar o nome da cidade natal e sem condições de retornar para casa, ele acaba adotado por um casal australiano, Sue (Nicole Kidman) e John (David Wenham), e passa a viver na Tasmânia. Já adulto, e com ajuda do Google Earth, Saroo fará de tudo para voltar para casa. Continuar lendo “Lion: Uma Jornada para Casa”

Estrelas Além do Tempo

“Atuações são destaques em história real sobre cientistas afro-americanas.”

Por Luís Gustavo Fonseca

Grandes feitos são associados, comumente, a poucos nomes, que entram para a história e serão lembrados por gerações. A corrida espacial, protagonizada pela queda de braço entre os Estados Unidos e a União Soviética na década de 60, serve como exemplo para essa constatação. Yuri Gagarin, Neil Armstrong, Buzz Aldrin e mesmo a cachorrinha Laika são alguns dos nomes lembrados e estudados até hoje. Contudo, tais feitos não se resumem a essas pessoas. Eles foram possíveis graças ao esforço coletivo de centenas de milhares de pessoas (e alguns animais), que combinaram suas habilidades e inteligência para que fosse possível colocar o ser humano no espaço. Pessoas com problemas cotidianos e que não são lembradas, mas que têm a mesma importância. Continuar lendo “Estrelas Além do Tempo”